• (64) 3411-2511
  • Avenida Jose Severino, Copacabana, Catalão Goiás
  • comercial@agrosuporte.com.br
  • Acesso ao Webmail

Notícias

As cotações futuras do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) ampliaram as valorizações ao longo do pregão desta sexta-feira (29). Perto das 12h06 (horário de Brasília), os principais vencimentos do cereal exibiam altas entre 5,75 e 6,00 pontos. O julho/18 operava a US$ 3,50 por bushel e o setembro/18 trabalhava a US$ 3,60 por bushel.

De acordo com informações das agências internacionais, as cotações acompanham a valorização do trigo, que sobe mais de 4% na Bolsa de Chicago. Além disso, os investidores ainda aguardam as novas projeções do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), de área cultivada e estoques trimestrais.

A expectativa é que haja uma elevação nos estoques e a área cultivada deve ficar próxima de 35,84 milhões de hectares. Os números serão reportados às 13h00 (horário de Brasília).

Ainda de acordo com dados da Reuters internacional, os preços recuaram 10% no mês de junho. "O milho registrou a maior queda mensal desde setembro de 2014 em meio às expectativas de safras abundantes", informou a agência. O clima continua contribuindo para o bom desenvolvimento das lavouras americanas.

BM&F Bovespa

Na bolsa brasileira, os preços do milho voltaram a testar o lado positivo da tabela nesta sexta-feira. As principais posições da commodity exibiam altas entre 0,22% e 1,09%, perto das 12h00 (horário de Brasília). O contrato julho/18 operava a R$ 37,10 a saca e o setembro/18 trabalhava a R$ 37,00 a saca.

As cotações acompanham a valorização dos preços no mercado internacional.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas